Los Angeles de Charles Bukowski

Linda e Charles Bukowski, em foto exposta em 2011 na Huntington Library

A Los Angeles de Charles Bukowski (1920-1994) está mais conservada que a de John Fante (1909-1983).

A Esotouric faz quatro tours por ano sobre o autor. A saída é da lanchonete Philippe’s, no centro da cidade, um verdadeiro achado, um lugar que parece parado no tempo. É especializado em sanduíches “french dipped”, com o pão meio molhado no molho das carnes. É bem bom e barato.

O lugar é incrível, com grandes mesas de madeira e mesmo cardápio desde que abriu em 1908 (será?). Bukowski fez até um poema dedicado ao Philippe’s, que Richard Schave, guia do tour, lê para a turistada no busão.

O tour tem um lado meio brega, mas é legal trocar ideias com gente que sabe tanto do assunto. Depois, com calma, dá para voltar aos lugares mais legais e curtir sem pressa, sem turma.

From Dan Fante

Bukowski passou os últimos anos de vida em San Pedro, distrito portuário de Los Angeles, mas uma das casas em que ele morou em Hollywood é hoje patrimônio da cidade. A placa do foto acima fica na calçada em frente à casa, onde hoje mora uma família de mexicanos.

Diz Schave que os proprietários atuais nem sabiam quem era o autor, mas acabaram descobrindo com tanta gente que passa para tirar foto da casa (5124 W. De Longpre Ave).

Bukowski morou aqui entre 1963 e 1972. Foi onde escreveu “Cartas na Rua” (1971), seu primeiro romance, sobre seus dias como carteiro. (“It began as a mistake” — primeira frase do livro, lembram?). Linda King, namorada na época, morava numa casa igual nos fundos do condomínio.

From Dan Fante

O posto do correio onde ele trabalhou por mais de dez anos fica perto da lanchonete Philippe’s e ainda tem uma fachada de correio, apesar de hoje funcionar um grande data center.

Outra lanchonete/restaurante que ele frequentava no centro, entre as dezenas de casas de striptease e cinema que viraram estacionamentos, é a Clifton’s Brookdale, atualmente em reforma, na Broadway com a 7th Street.

Num de seus poemas, ele cita a Clifton’s (de decoração esquisita, imitando uma floresta, com árvores e cachoeira de mentira) e também uma galeria de jogos eletrônicos, um quarteirão dali. Acho que o poema se chama “Downtown”, mas não consigo achar nenhuma referência na internet.

From Dan Fante

Outra parte central da cidade para Bukowski é a Biblioteca Central (foto acima), da qual já falei no post anterior. Ele frequentava bastante (dizia que era o melhor lugar para fugir do locatário atrás do aluguel, com um banheiro limpo e livros de graça) e foi onde descobriu John Fante, seu “deus”.

E, claro, não podia faltar a birita. Quando morava em Hollywood e parou de dirigir, passou a frequentar a pé quase que diariamente a loja de conveniência Pink Elephant (1836 N Western Ave).

From Dan Fante

A tour também passa por outros dois lugares que o autor morou, mas que hoje são construções totalmente diferentes. Talvez a melhor parada de todas seja no Musso & Frank, tenho certeza que muitos fantasmas literários ainda rondam por lá.

Um ano atrás fiz uma longa entrevista com a viúva dele, Linda, na casa em que eles moraram, em San Pedro. Saiu na Ilustríssima e pode ser lido aqui online (o título é problemático, porque ele nunca beat…)

Radinho, máquina de escrever e copo intacto de Bukowski, expostos em 2011 na Huntington Library

A série Fante-Bukowski acaba aqui. Segunda-feira tem uma resenha do incrível novo documentário sobre Bob Marley.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s