Amazônia calling

Here are some of my recent stories related to the Amazon

Photo from @ProjetoMantis, de Leo Lanna and Lvcas Fiat

When the sun is out and is all dark in the forest, researchers Leo Lanna and Lvcas Fiat start their work armed only with flashlights. They are chasing a camouflaged, carnivorous animal that is no more than a few centimeters: the charismatic and patient praying mantis.

I talked to the duo in Vancouver (Canada), where they presented their findings at the TED Talks 2022, including new species of the mantis in Brazil. I wrote the story for Ecoa, you can read it here.

More about TED 2022 in a separate post

Amazon in the movies

Scene from the documentary “The Territory”

I wrote about the documentary “The Territory”, which follows the fight between indigenous people and land grabbers in the Brazilian state of Rondonia. The movie won the jury and the audience award at the Sundance Film Festival 2022 and it is a strong contender for the Oscar 2023 nominations.

I interviewed the New York-based director, Alex Pritz, and one of the main protagonists, Bitaté, an indigenous leader of the Uru-Eu-Wau-Wau community. You can read the story in Portuguese here for the website Ecoa.

Here is a snippet of the Ecoa article:

LOS ANGELES – Os conflitos entre indígenas e invasores de terra na Amazônia brasileira ganharam um novo documentário produzido por estrangeiros e a etnia uru-eu-wau-wau, que traz um raro ponto de vista de fazendeiros e criminosos que insistem em tomar terras alheias.

“O Território”, com direção do nova-iorquino Alex Pritz, estreia hoje (22) no Festival Sundance, maior evento do cinema independente norte-americano. O filme é coproduzido pela comunidade indígena de Rondônia, que já havia sido equipada com drones para fazer a vigilância de seu território, uma área cada vez menor rodeada por desmatamentos.

Pritz e sua equipe armaram a comunidade de câmeras profissionais, possibilitando uma visão mais íntima da aldeia, como quando eles se deparam com invasores em suas missões pela floresta.

Bitate Uru-Eu-Wau-Wau é um dos personagens principais, um jovem que passa a liderar a comunidade e também uma das câmeras. A força do filme está na luta incansável de Neidinha Suruí, liderança local à frente da ONG Kanindé. A ativista foi casada com o cacique Almir Suruí e é mãe de Txai Suruí, jovem que discursou na COP26 e uma das produtoras do documentário. Continue lendo no Ecoa.

More about Sundance Film Festival 2022 in a separate post

Taking action with the Xavante people

Photo by Carol Brenck/GoMartins

Felipe Martins (right) promotes different types of environmental and tourism projects with indigenous and non-indigenous communities all over Brazil.

I interviewed him for Ecoa after an initiative to plant 2,435 fruit tree seedlings in the Xavante villages in the state of Mato Grosso in late 2021. He is a former professional swimmer who ranked among the ten fastest in the world in the 50m butterfly, and he also works as a top model to pay the bills.

Read the story in Portuguese here.

Amazon Watch interview

Arquivo pessoal de Leila Salazar-López, ao lado do Cacique Tabata Kuikuro

I interviewed Leila Salazar-López, the executive director of Amazon Watch, an NGO founded in 1996 in Oakland (California), known for pressuring large multinationals and financial institutions with a presence in the Amazon.

Amazon Watch also promotes human rights campaigns and recruits celebrities to the cause. Here is a snippet of the article for Ecoa:

LOS ANGELES – Em sua primeira viagem à Amazônia, Leila Salazar-López era uma estudante americana interessada em botânica, nos anos 1990. Mas o choque que ela levou ao se deparar com um vazamento monstruoso de petróleo na floresta equatoriana a fez mudar de profissão. Hoje, ela é uma das ambientalistas mais ativas na luta pelos direitos dos povos indígenas amazônicos, diretamente da Califórnia, onde fica a sede da Amazon Watch.

Leila é diretora-executiva da organização não-governamental, fundada em 1996 e conhecida por pressionar grandes multinacionais e instituições financeiras com presença na Amazônia, além de produzir campanhas de direitos humanos e recrutar celebridades para a causa.

Aliada a grupos locais e internacionais, a Amazon Watch ajudou a levantar US$ 2,5 milhões (R$ 14 mi) para o Fundo Emergencial da Amazônia, criado em abril por conta da pandemia. A maioria das doações vem de indivíduos e firmas nos EUA e governos europeus. A ONG também arrecadou outros US$ 2 milhões desde os incêndios de 2019. Leia a entrevista completa em Ecoa.

Raoni Chief goes to Hague Court against Bolsonaro for environmental crimes

Os caciques Raoni Metuktire e Almir Suruí abriram ontem (22/1/21) uma denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Tribunal Penal Internacional (TPI), citando crimes ambientais, em um contexto de crimes contra a humanidade.

A representação feita pelas duas lideranças indígenas contou com ajuda do advogado francês William Bourdon, famoso por defender causas internacionais de direitos humanos e mais recentemente casos de “whistleblowers” como Edward Snowden, Julian Assange e ativistas africanos.

Continue lendo em Ecoa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s