Meio Ambiente

Algumas matérias recentes relacionadas ao meio ambiente

Entrevista com diretora da Amazon Watch

Arquivo pessoal de Leila Salazar-López, ao lado do Cacique Tabata Kuikuro

Em sua primeira viagem à Amazônia, Leila Salazar-López era uma estudante americana interessada em botânica, nos anos 1990. Mas o choque que ela levou ao se deparar com um vazamento monstruoso de petróleo na floresta equatoriana a fez mudar de profissão. Hoje, ela é uma das ambientalistas mais ativas na luta pelos direitos dos povos indígenas amazônicos, diretamente da Califórnia, onde fica a sede da Amazon Watch.

Leila é diretora-executiva da organização não-governamental, fundada em 1996 e conhecida por pressionar grandes multinacionais e instituições financeiras com presença na Amazônia, além de produzir campanhas de direitos humanos e recrutar celebridades para a causa.

Aliada a grupos locais e internacionais, a Amazon Watch ajudou a levantar US$ 2,5 milhões (R$ 14 mi) para o Fundo Emergencial da Amazônia, criado em abril por conta da pandemia. A maioria das doações vem de indivíduos e firmas nos EUA e governos europeus. A ONG também arrecadou outros US$ 2 milhões desde os incêndios de 2019. Leia a entrevista completa em Ecoa.

Cacique Raoni denuncia Bolsonaro no Tribunal de Haia por crimes ambientais

Os caciques Raoni Metuktire e Almir Suruí abriram ontem (22/1/21) uma denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Tribunal Penal Internacional (TPI), citando crimes ambientais, em um contexto de crimes contra a humanidade.

A representação feita pelas duas lideranças indígenas contou com ajuda do advogado francês William Bourdon, famoso por defender causas internacionais de direitos humanos e mais recentemente casos de “whistleblowers” como Edward Snowden, Julian Assange e ativistas africanos. Continue lendo em Ecoa.

TED Countdown

Leia aqui sobre o evento do TED 2021, um chamado global por ações contra mudanças climáticas

Família transforma residência em imensa horta em Pasadena, Califórnia

Anais Dervaes, da Urban Homestead

Numa pequena rua escondida atrás de uma movimentada freeway de Pasadena, cidade ao sul da Califórnia, uma casa chama atenção pelo aparente matagal que toma sua entrada e esconde a residência ao fundo. Porém, olhando de perto, não se trata de mato e sim de um jardim urbano de delícias: só da calçada, dá para ver pés de goiaba, sálvia, sabugueiro e até abóbora.

A propriedade de 800 metros quadrados se chama Urban Homestead e guarda quase metade do terreno para plantações. É um espaço pequeno e apertado e, ainda assim, extremamente produtivo. Em 2010, produziu três toneladas de comida, incluindo 90% da dieta vegetariana da família Dervaes, que mora aqui desde 1985.

Hoje, o foco é menos em quantidade e mais na sustentabilidade do negócio: a fazendinha em plena metrópole vende para restaurantes, organiza cestas de orgânicos, recebe escolas e oferece cursos. Na pré-pandemia, fazia entre US$ 5 mil e US$ 10 mil por mês. Com a pandemia, os restaurantes sumiram, mas as cestas triplicaram para 150 por semana. Leia reportagem completa em Ecoa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s