Oscar 2020

Por que o documentário sobre uma apicultora é a grande surpresa do Oscar?

Pela imensidão das montanhas áridas do interior da Macedônia do Norte, uma mulher caminha solitária. De perto, observamos Hatidze Muratova na beira de um precipício, abrindo um esconderijo entre as pedras. Ela enfia as mãos desprotegidas numa colmeia, e a tela do cinema se enche de cor e som: o amarelo vibrante do mel e o zunzunzum assustador das abelhas.

“Metade para mim, metade para vocês”, ela diz calmamente às abelhas, ao pegar dois favos e deixar outros dois. É um mantra repetido ao longo de “Honeyland” (terra do mel, em inglês), um documentário poético com estilo de filme de ficção, dirigido por Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska.

O filme concorre em duas categorias do Oscar, documentário e filme estrangeiro, algo inédito na história da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Continue lendo aqui no TAB UOL.

 

Brasil no Oscar 2020

Foto: Fernanda Ezabella

Petra Costa, no pós-Oscar, ouviu piada sobre Phoenix e fez reunião sobre a Amazônia

Um dia após a cerimônia do Oscar, a diretora Petra Costa seguiu divulgando a causa da Amazônia em Los Angeles ao lado da líder indígena Sônia Guajajara, numa reunião com dezenas de executivos na sede da Creative Artists Agency (CAA), uma das maiores agências de talentos dos EUA, na manhã de segunda-feira (10). Continue lendo na Folha de S.Paulo.

‘Democracia em Vertigem’ enfrenta chineses dóceis e sírias corajosas

O Brasil enfrenta um exército chinês na disputa de melhor documentário do Oscar 2020. O principal rival de “Democracia em Vertigem”, da diretora Petra Costa, é o longa “Indústria Americana”. Produzido pelo casal Michelle e Barack Obama, narra a chegada de uma fábrica chinesa e de seus operários super obedientes a uma cidade do interior dos Estados Unidos. Continue lendo aqui no UOL Cinema.

Petra Costa responde a críticas de Bolsonaro

Leia mais no O Globo

Mais Oscar 2020

“Filmei porque tinha certeza que ia morrer”, diz mãe síria indicada a Oscar

Três meses após dar à luz sua bebê Sama, a estudante síria Waad Al-Kateab voltava ao mesmo quarto do hospital improvisado, na cidade de Aleppo, em escombros após anos de guerra civil.

Desta vez, ela estava atrás de uma câmera e filmava uma equipe tentando salvar uma mulher grávida de nove meses, atingida por estilhaços de bomba. A cena está em seu documentário “For Sama”, indicado ao Oscar e ganhador do Bafta do último domingo. Continue lendo no UOL Universa

Braço direito de Scorsese: Thelma Schoonmaker é indicada pela oitava vez

Foto de arquivo do No Film School (https://nofilmschool.com/)

Por trás de todo filme de Martin Scorsese nos últimos 40 anos, há uma mulher baixinha de cabelos brancos e sorriso largo chamada Thelma Schoonmaker. Aos 80 anos (que completou no último dia 3 de janeiro), a montadora, uma das mais prestigiadas de Hollywood, é dona de três estatuetas do Oscar e acumula outras cinco indicações.

A mais recente é por “O Irlandês”, que concorre na cerimônia deste anos —assim, igualou o recorde de Michael Kahn e é a mulher mais vezes indicada ao principal prêmio do cinema americano na categoria montagem. É, também, dona de um Leão de Ouro, do Festival de Veneza, pelo conjunto de sua obra. Continue lendo no UOL Cinema. 

Laura Dern sobre ‘História de um Casamento’ e ‘Adoráveis Mulheres’: papéis femininos mudaram com o tempo

Leia mais na Folha de S.Paulo

Dern saiu vencedora do Oscar de coadjuvante. Ela tem um dos melhores monólogos do cinema em “Marriage Story” – Laura Dern: “God was the father and he didn’t show up”.

Curtas do Oscar 2020: ‘Hair Love’ é favorito

Da vaquinha online ao tapete vermelho do Oscar, o diretor Matthew A. Cherry percorreu uma trajetória curiosa para conseguir realizar seu primeiro curta-metragem de animação. Pelo caminho, ainda lançou um livro best-seller baseado no filme. A história é cabeluda, literalmente.

“Hair Love” (amor de cabelo) fala sobre um pai afro-americano que precisa ajudar sua filha a arrumar o cabelo antes de sair de casa para um grande evento. A tarefa não é nada fácil: a pequena tem um cabelão afro generoso e quer um penteado especial.  

“Não sou pai, mas vejo meu curta como uma carta de amor para minha futura filha”, disse Cherry, 38 anos, num evento nesta semana na sede da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em Beverly Hills, que reuniu todos os indicados de curtas de animação. Continue lendo aqui no O Globo

Museu da Academia do Oscar – entrevista com curador brasileiro

IMG_20200203_152522

Bernardo Rondeau, dentro do principal cinema do museu, o qual será o programador oficial. Foto: Fernanda Ezabella

Alguns dos maiores tesouros do cinema mundial estão aguardados em Los Angeles, à espera da inauguração de um gigantesco museu na cidade californiana. A aguardada data de abertura foi finalmente anunciada por Tom Hanks durante a cerimônia do Oscar: 14 de dezembro de 2020.

O UOL visitou o espaço e entrevistou um dos curadores do museu, o brasileiro Bernardo Rondeau. Continue lendo no Uol Cinema

 

Cobertura Oscar 2019

Indicada ao Oscar conta como figurinos de ‘Pantera Negra’ foram inspirados em diferentes comunidades africanas

blackpanther2

A figurinista Ruth E. Carter fez uma pesquisa meticulosa entre tribos africanas para criar as roupas de “Pantera Negra”, trabalho que lhe rendeu sua terceira indicação ao Oscar.

Ao lado de influências e tecidos importados das comunidades dogon, do Mali, turkana, do Quênia, ndebele, do Zimbábue e África do Sul, e suri, na Etiópia, Carter também trouxe o que há de mais tecnológico no mercado, produzindo peças em impressoras 3D. Continue lendo aqui na Folha de S.Paulo.

 

Rainhas usam jeans nos filmes de época indicados ao Oscar

O jeans, quem diria, está na moda nos séculos 16 e 18. Os dois filmes de época indicados ao Oscar de melhor figurino, “Duas Rainhas” e “A Favorita”, usaram o tecido para fazer trajes exuberantes de monarcas e os uniformes de seus empregados. Continue lendo aqui na Folha de S.Paulo.

hero_the-favourite-TF_03729_rgb

Cena de “A Favorita”

 

Filme sobre dura infância no Líbano é ‘pequena vitória’, diz indicada ao Oscar

“O que você quer dos seus pais?” O juiz pergunta na corte para o menino de 12 anos, um refugiado sírio que vive sem documentos nas ruas de Beirute. “Quero que eles parem de ter filhos”, responde a criança gritando, ao processar os pais por ter nascido.

A cena é do filme “Cafarnaum”, da libanesa Nadine Labaki (“Caramelo” e “E Agora, Onde Vamos?”). Continue aqui na Folha de S.Paulo.

 

Obsessão pop por juíza gerou filme “RBG”, que disputa 2 prêmios do Oscar

 

O rosto sisudo de uma velhinha de 85 anos está por todos os lados em Hollywood. Ruth Bader Ginsburg, juíza da Suprema Corte, foi catapultada a ícone feminista com ajuda de uma brincadeira de internet e hoje estampa canecas, livros infantis, bonecas e até tatuagens.

O fenômeno pop chega ao auge no domingo, quando um filme sobre sua vida concorre a dois Oscar: melhor documentário e música por “I’ll Fight”, de Jennifer Hudson, escrita por Diane Warren. Continue lendo na Folha de S.Paulo sobre “RBG” e “Free Solo”.

 

Tabu na Índia, menstruação e absorventes são tema de curta documentário indicado ao Oscar

Period. Photo 1 hi-res

A americana Rayka Zehtabchi nunca teve problemas em encontrar absorventes ou tampões, nunca deixou de falar sobre suas cólicas com amigas ou mesmo de perguntar a adultos sobre menstruação. Aos 23 anos de idade, numa viagem à Índia, percebeu como tudo isso era de fato um enorme privilégio.

“Foi chocante conhecer mulheres que passaram a vida inteira sem entender o que é a menstruação. E que nunca falaram com um outro ser humano sobre isso, algo tão natural para nós mulheres”, disse Zehtabchi, diretora de “Absorvendo o Tabu” (disponível no Netflix), indicado ao Oscar de curta-metragem. Leia mais no Universa do UOL.

 

“Esse ‘cabrón’ vai ganhar tudo no Oscar”, diz polonês indicado sobre Cuarón

O diretor polonês Pawel Pawlikowski, indicado ao Oscar de direção e filme estrangeiro por “Guerra Fria”, sabe que suas chances são baixas perto do amigo mexicano Alfonso Cuarón, seu concorrente nas mesmas categorias por conta de “Roma”.

“Esse ‘cabrón’ vai ganhar tudo”, disse Pawlikowski, apontando para o colega ao seu lado. “A expectativa na Polônia é meio de Olimpíadas, mas já avisei para não esperarem nada.” Continue lendo no UOL.

 

Versão impressa

15499447551181

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s