Entre punks e elfos da Islândia

P1030718.jpg

Passamos metade de janeiro de 2017 na Islândia, aproveitando o preço de banana das passagens aéreas (saindo dos EUA). Acomodação e comida são bem caras na ilha, mas durante o inverno os preços são mais acessíveis (pense num cachorro quente num bar por US$ 16).

Escrevi para a Folha de S. Paulo sobre o museu do punk recém-instalado num banheiro público desativo e também sobre os monumentais icebergues de Jökulsárlón, uma das coisas mais lindas que vi na vida.

Para a revista Piauí, escrevi sobre a Escola dos Elfos, uma experiência curiosa na capital Reykjavík. Leia trechos abaixo e visite os sites para as matérias completas.

 

 

Banheiro público vira museu do punk na Islândia

No subterrâneo de um antigo banheiro público feminino, no centro turístico de Reykjavík, capital da Islândia, um punk de cabelos espetados e roupas de couro rasgadas recebe visitantes com um sorriso amarelo.

Ele para de tocar guitarra e se levanta para avisar o preço da entrada para os quatro banheiros e a sala principal, reformados para abrigar o Pönksafn Íslands –ou Museu do Punk Islandês. Continua aqui…

 

Icebergues desfilam em lagoa glacial

É preciso chegar cedo para evitar as hordas de turistas e aproveitar o silêncio de Jökulsárlón, a maior lagoa glacial do sudeste da Islândia. Só assim é possível ouvir os estalos dos enormes icebergs que deslizam água abaixo em direção ao oceano.

Já na praia do lado do Atlântico, icebergs menores e translúcidos descansam nas areias pretas ou boiam levados pelas ondas.

As paisagens surreais, usadas em filmes de Hollywood, são o ápice de uma viagem de seis horas de carro desde a capital Reykjavík pela estrada Ring Road (rota 1), que circula toda a ilha com várias surpresas pelo caminho. Continua aqui…

 

Escola de Elfos

Magnús H. Skarphéᵭinsson nunca viu um elfo, nunca cruzou com um gnomo e nunca avistou uma fadinha. “Mas que eles existem, existem”, garante o antropólogo islandês de 62 anos, numa pequena sala abarrotada de livros antigos, bibelôs coloridos e delicadas luminárias.

Faz décadas que Skarphéᵭinsson coleciona histórias de duendes, elfos e fadas. Há 29 anos, ele criou a Elfschool para compartilhar contos do folclore islandês e manter vivas as histórias de amizade entre humanos e “espíritos da natureza”. Continua aqui…

Outras cenas da Islândia

 

 

mais fotos aqui

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s