Massacre em Las Vegas

IMG_20171003_161244.jpg

Las Vegas na manhã seguinte ao massacre. Ao fundo, o hotel resort Mandalay Bay (foto: Fernanda Ezabella)

A editora me acordou às 5h da segunda-feira, queria que eu fosse para Las Vegas imediatamente. A pauta era o massacre de Mandalay Bay, no qual um atirador americano deixou quase 60 mortos e mais de 500 feridos, no maior ataque do gênero no país.

Passei os três dias seguintes na cidade. Abaixo, alguns dos meus textos publicados na Folha de S. Paulo.

Casas de tiro de Las Vegas oferecem treinos inspirados em filmes e games

O som da primeira rajada de balas me congela por uns segundos. O barulho das automáticas vem de supetão ao abrir a porta do campo de tiros indoor. As pernas vacilam, o coração dispara.

Estou na Battlefield Vegas, uma das mais de dez casas de tiro de Las Vegas, com 350 armas de vários estilos, como modelos históricos, contemporâneos e até personalizados com a Hello Kitty. A atividade é bastante popular entre turistas e um símbolo da cultura pró-armas no Estado de Nevada. Continua aqui…

Las Vegas tenta retomar rotina de turismo e compras

Las Vegas, uma das cidades mais turísticas do mundo, tentava voltar ao normal na noite de segunda-feira, 24h depois do pior atentado a tiros nos EUA, que deixou 59 mortos e mais de 500 feridos.

Pelas ruas da Strip, principal avenida repleta de hotéis e lojas, muitos turistas caminhavam com sacolas de compras, tiravam selfies com o celular ou carregavam grandes drinks na mão, embora diversos shows tenham sido cancelados, incluindo o espetáculo gratuito da dança das águas do hotel cassino Bellagio.

“O movimento caiu uns 30%. Nossas filas hoje foram só para reembolsos”, disse uma funcionária de um quiosque com várias unidades na Strip para venda de ingressos. Continua aqui… 

Com pizza e rosquinha, arena vira refúgio para vítimas em Las Vegas

IMG_20171002_122426.jpg

foto: fernanda ezabella

“Tenho 20 pizzas no carro”. “Estou com o porta-malas cheio de água e comida”. “Sou médico, posso ajudar?” Shawn Corr, gerente de um centro de convenções de Las Vegas, passou a manhã de segunda (2) organizando voluntários que surgiram para ajudar as vítimas do ataque a tiros nos arredores do hotel Mandalay Bay.

“Estamos concentrando as doações e levando de carro para alguns lugares, mas já estão até recusando porque há muita coisa”, disse ele. Continua aqui…

Outros textos

Nunca me senti tão frágil e assustada na vida, diz testemunha de ataque – leia depoimento

Em Las Vegas, Trump elogia polícia e se nega a falar sobre controle de armas – leia aqui

Atirador de Las Vegas usou câmeras e aparelho para arma disparar mais – leia aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s