Rússia Monumental

 

P1000828.jpg

Palácio de Peterhof (foto: Fernanda Ezabella)

Fiz um belo passeio pela Rússia e certamente voltaria para Moscou, uma cidade super moderna e repleta de restaurantes incríveis e baratos. Já as cidades do Anel de Ouro, não voltaria, tampouco recomendaria para quem tem pouco tempo no país.

Abaixo, trechos das matérias que escrevi para a Folha de S.Paulo.

Moscou revela lado moderninho fora de museus e prédios históricos

Um certo ar de cortina de ferro persegue os passos de quem visita a Rússia em pleno século 21, graças à tremenda impopularidade do país na política externa. A fragilidade dos direitos humanos não ajuda, além da onipresença do presidente Vladimir Putin, tão vaidoso quanto polêmico, há 16 anos no poder.

Mas o noticiário obscuro fica para trás ao se adentrar as avenidas largas com prédios monumentais de cidades como Moscou ou São Petersburgo –principais destinos do país. Construções de séculos distintos ficam lado a lado. Bem conservadas, vão do neoclássico ao modernismo, do bizantino à art nouveau. Continua aqui…

São Petersburgo guarda igrejas e memória de escritores russos

Planejada para ser uma “janela para o Ocidente”, São Petersburgo encanta pela mistura arquitetônica elegante e seu passado de capital imperial, com canais e pontes românticas que lhe renderam os apelidos de Amsterdã do Norte e Veneza Russa.

Assim como no restante da Europa, as igrejas exercem papel central na vida local –a diferença é que são ortodoxas. A principal é a do Salvador do Sangue Derramado, de cúpulas exóticas e cores vibrantes, estilo tipicamente russo que serve de contraponto às construções europeias predominantes. Continua aqui…

Arco ao redor de Moscou reúne locais sagrados e o ‘berço’ das matrioskas

É preciso boa dose de fascínio religioso para fazer uma excursão de dois dias pelo interior da Rússia, numa região conhecida como Anel de Ouro, ao redor e além de Moscou, trocando as modernidades das grandes cidades por uma sequência quase ininterrupta de igrejas e monastérios.

A primeira parada pode ser na mais afastada Novgorod (a 500 quilômetros da capital), formada no século 9 e uma das maiores cidades da Europa no século 14. Continua aqui…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s